Cotidiano

A internet está acabando com as amizades?

photo

Sábado de Aleluia. Acordo e como todos os dias dou uma olhada na tela do celular para ver as horas. Lembro-me que estou de folga e posso me dar ao luxo de enrolar mais um pouquinho.

Vejo as notificações, e posteriormente a timeline do Facebook. Me assusto. Três amigos que não tem qualquer ligação entre si compartilhando coisas que se ligavam: Todo mundo agora tem opinião, tenha embasamento ou não. E as amizades estão terminando por isso. Meu amigo Luca era uma dessas pessoas. Ele compartilhou um texto muito bom e teceu um comentário bastante pertinente:

Tem gente que se apega tanto a própria opinião que quando questionado da origem da mesma se irritam, te acusam de chato, mas não sabem explicar o por quê de terem aquela opinião. Pois ela não foi pensada, advinda de estudo e contemplação, mas surgiu da reprodução da opinião alheia. E se apegam tanto a essas opiniões que estas se tornam suas verdades. E lhes doem ter suas verdades questionadas pela razão, quando se pede evidências que sustentam determinadas ideias.

Se tornou comum me deparar com pessoas aborrecidas, se sentindo sozinhas, tendo apenas uma ou duas amigas, muitas vezes com horários divergentes, para conversar. Pessoas essas que se preocupam com fontes, com algo além do discurso “é minha opinião e você tem que respeitar”, “é gosto, e gosto não se discute” ou “é assim porque eu quero, não discorde de mim nos meus posts”. Estão entrando em reclusão, com a impressão de que ser usuário de internet virou um aborrecimento. Ter didática e querer fazer o outro pensar se transformou em uma maldição.

Será mesmo?

Sim. Pessoas estão se separando por causa do famoso “chorume” das redes sociais. Ou se unindo em sua ignorância.

Chegamos no ponto onde (como se fala no link acima):

O mal que há nessa “democratização” dos veículos é que se formam crenças sem fundamento, mudam-se as opiniões das pessoas, afirmam-se absurdos em que muita pessoa ingênua acaba acreditando. Sim, porque estudar, comprovar metodicamente, testar a validade, tudo isso dá muito trabalho.

Se o ser humano precisa evoluir sua maneira de pensar, expandi-la, logo, por que será que a internet ao mesmo tempo que traz o conhecimento também traz a ignorância? É mais cômodo e mais prático. Vivências anuladas, pessoas que sofreram agressão, silenciadas. E por favor, é aqui que quem não faz isso quer descer. E rápido. Uma decisão precisa ser tomada.

Tenho tentando ajudar os amigos que estão passando por essa fase, sofrendo pelo término de relações frustradas, pelo sentimento de solidão. Mas, diferente delas, eu não tenho qualquer problema em cortar relações. Vim para esse mundo como um ser desapegado que sabe a hora de parar. Tenho uma afiada visão a longo prazo. E pessoas se vão. Se for colocar numa balança, eu sempre faço muito mais pelos outros do que o contrário, então minha consciência está sempre tranquila. Seja amizade, família, amor. Quando acabar, acabou. Só peço que não me procure quando tomar um choque de realidade. Que vai tomar e não vai demorar.

Meu problema mesmo é a educação. Muitas dessas pessoas problemáticas já foram na minha casa. E eu as recebi pela mesma razão as quais as mantinha no meu perfil no Facebook, por educação e tolerância. Nem bem-vindas eram, tudo por consideração a outros. E muitos desses outros nem significam alguma coisa hoje. Que gasto de energia. Que perda de tempo!

A internet não é culpada por esse momento. Ela é uma ferramenta, e como toda ferramenta, precisamos de sabedoria. Sabedoria que nem todo mundo tem o cuidado de saber usar. Preferem bater parafusos com martelos. Cabe a quem preza sua saúde mental saber filtrar o joio do trigo. Aprender a varrer a sua casa e passar um pano molhado depois.

Sem culpa, de boa. Quando estamos de boa, aquilo que tinha valor ontem, hoje pode não ter a menor importância. Afinal, quanto mais conhecimento você adquire, menos amigos você tem. E temos de aprender a conviver com isso.

Artigos relacionados

coment
  • Keyko
    4 de abril de 2015 at 14:37

    Exatamente. Tem gente que morre pra provar que tá certo. Às vezes é preferível engolir sapos pra ter uma boa convivência, pq gente q tá sempre de mimimi é um porre de ter um por perto. Recentemente até fiz um post sobre isso, sobre drama de internet, coisas totalmente desnecessárias pra vida no geral. Tá acabando mesmo com amizades, boas convivências e por aí vai.

    • Gaby Wolks
      5 de abril de 2015 at 12:57

      Olá, Keyko! Sim, estamos passando por tempos complicados. Não sei se é bom ou ruim, sinceramente. Vou passar por lá e ler o seu ponto de vista. Obrigada pela visita! ^_^

  • Sandra Black
    4 de abril de 2015 at 18:05

    É tudo bem verdade. Já nem me dou ao trabalho de discutir ou de comentar muita coisa na internet por isso mesmo. E sinceramente, estou também numa fase em que não tolero merdas nem faltas de respeito. Todos na internet são uns grandes heróis muito corajosos. Se são idiotas, BAM, fica fora, já não há paciência. Antes sozinha que mal acompanhada.audades do tempo em que se conversava mais fora de casa do que por Facebook, parecia que o povo tinha mais noção do que dizia e fazia.