Wolkices Leitura

Livros e dedicatórias

George

Férias, finalmente. Livros e mais livros não divertidos lidos, apostilas do semestre devidamente guardadas e arquivadas e meu fichário pronto para o segundo round do ano. Foram seis meses, ou melhor quatro, bem barra pesada. Muita sabotagem externa por conta da nossa mudança, muitas manhãs presa em casa, muitas aulas perdidas e método autodidata de “não seja reprovado” unido com a maratona do “corre atrás”. Enfim, passou e com CR 9.

Agora posso voltar a ter livre arbítrio e isso significa diversão: sair para dançar, poder chegar tarde, ir ao cinema na última sessão, jogar video game além da conta, dormir bem, ler livros divertidos que não dão sono, essas coisas. Posso respirar aliviada durante cinco semanas que tenho certeza que passarão a jato.

Falando em livros, há alguns meses um amigo me emprestou o primeiro de “A Guerra dos Tronos” e não conseguia ler. Sempre algo para fazer, atrapalhar, estudar e ele ficando na estante. Quem me conhece sabe que minha escolha para leitura é um tanto aleatória e que não me interesso nem um pouco, mesmo que tenha uma leve borrifada, por histórias capa-espada-magia, nem nos livros e nem nos games. Estou tentando ser mente aberta e é por esse motivo que decidi ler este nas férias.

maki

Maki aprova esse livro.

Semana passada finalmente comecei e gostei do que encontrei. Não estou aqui para fazer review sobre o livro nem nada, mas é importante falar que ele fez algo que não me ocorria desde Desventuras em Série: me prendeu. E livros quando me prendem “vade mecum” onde quer que eu vá.

Os amigos que ficaram sabendo da minha nova jornada me alertaram duas coisas: a primeira que Murphy mudou seu nome legalmente para George R.R. Martin (e talvez isso arranque lágrimas ao longo do tempo) e a segunda para ficar longe da HBO para não estragar minha experiência. Estou tentando ser cautelosa o máximo que dá. Para ter uma noção, já me apaixonei pelo Jon Snow. Okay, assumo que dei uma googleada para ver o rostinho do Jon e Bran idealizados na série. São quase do jeitinho que imaginei, pois na minha imaginação o Jon tem cabelos lisos e a pele um tom mais escura.

Utilizo o próprio livro como guia caso tenha alguma dúvida do que aconteceu lá atrás, é muito legal. Estou gostando bastante. O bom é que tem diversos livros lançados, o que elimina algo que odeio, que é esperar pelo próximo. Sempre tento começar algo utilizando esse raciocínio. Livros com todos os volumes lançados ou mais de três e séries na segunda ou terceira temporada.

Voltando ao fato de que agora levo os Stark debaixo do braço, por se tratar de um livro grosso, pesado e presente de Natal da noiva do meu amigo, decidi ter o meu. Comentei com o Dan e o ligeirinho logo tratou de comprar antes de mim (aproveitando nosso aniversário) e fazer uma das dedicatórias mais fofas que já recebi. Fofa sim, mas não imediata.

Tenho um pensamento de que livros ganhos sem dedicatória são frios. Sei que tem gente que não consegue fazer uma de cara. Mesmo que você devolva o livro e demore algum tempo para tê-lo de volta, que seja com a mensagem ou pode esquecer. Toda vez que alguém me dá um livro de presente, a segunda coisa que faço (a primeira é agradecer) é ver se tem a devida dedicatória na primeira página. Se não tiver, devolvo e peço que o faça.

Geralmente (foque no geralmente) recebemos livros que dizem muito sobre aquele momento em que estamos vivendo e ter um recadinho pessoal faz com que no futuro, quando você o pegar novamente, remeta a uma série de lembranças. Gosto da sensação de ler a dedicatória e os olhos se encherem de lágrimas, daqueles segundinhos de emoção e do abraço posterior. Nada de “de” e “para”, mas sim uma justificativa ou desejos de quem está dando para quem está recebendo. E além disso, pegar emprestado o livro de alguém e ter uma dedicatória é algo tão especial quanto ser para você, pois acaba partilhando daquele momento de carinho e registro vivido no passado.

Ganhar livros para mim é tão importante e especial quanto ganhar chocolates ou cafuné de manhã. E por isso pedi uma ao Dan. E recebi essa:

Toda vez que leio, fico com os olhos marejados =')

Toda vez que leio, fico com os olhos marejados =’)

Espero que ele não fique chateado por ter compartilhado, mas achei tão bacana e genial que como não sei como é o dia de amanhã, preferi imortalizar aqui no blog. Muito obrigada mesmo, eu realmente amei ambos (o presente, as palavras e o Wolkinho Stark).

E vocês, como gostam de ganhar seus livros?

Artigos relacionados

coment
  • Claudinha
    25 de junho de 2012 at 18:23

    Olha, achei genial a ideia de devolver pra pessoa escrever uma dedicatória. Nunca tinha pensado nisso, omg! XD Vou aderir, pq não tem nada mais gostoso que ganhar livros COM dedicatória. <33

    Beijos

  • Dan Wolks
    25 de junho de 2012 at 18:37

    Oi Gata, nossa quando você me pediu para ver o seu novo post eu não imaginei que ia encontrar o meu “Dan Snow” no meio dele rs

    Fico muito feliz que você tenha realmente gostado da minha dedicatória, se ela te faz se sentir bem toda vez que a vê então ela cumpriu seu objetivo.

    Eu nunca fui muito bom em escrever este tipo de coisa, mas acho que a grande sacada é parar de pensar e “escutar” aquela voz lá de dentro que te diz o que você realmente gostaria de dizer para aquela pessoa especial para você, pelo menos é isso o que eu tenho feito, e a voz também ajuda nos desenhos.

    Amo você gatinha espero realmente que curta o livro, estou lendo junto pra poder debater com você rsrs

    bjs

    • Gaby Wolks
      25 de junho de 2012 at 18:43

      =’) Também te amo. Fico feliz que não ficou triste por eu ter postado.

      Poxa, não sabia que você estava lendo, que legal!

      Vamos ter Stark no espeto no jantar?